16 dezembro, 2008

MADONNA E ROLLING STONES, CONVÉM ASSISTI-LOS?

250px-Madonna_3_by_David_Shankbone-2 No momento em que escrevo este post, a cidadã norte-americana Madonna Louise Veronica Ciccone, mais conhecida como a pop-star Madonna, nascida no dia 16 de agosto de 1958, na cidade de Bay City, estado de Michigan, apresenta seu show no estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro.

Achei o instante propício para uma reflexão sobre a nossa atitude, enquanto cristãos e a visão de mundo que desenvolvemos.

Há cristãos que imaginam que a música e as artes em geral devem sempre estar associadas à pregação, ao evangelismo ou qualquer outro objetivo, desde que este seja espiritual.

Aliás, é o nosso costume espiritualizar tudo, principalmente os talentos de um novo convertido de forma a dicotomizarmos tudo na fórmula: sagrado versus secular.

Se um novo convertido tem o dom da música, ele deve tornar-se um músico evangélico; se ele tem talento para a pintura, será encarregado da elaboração do quadro de avisos da igreja ou da nova decoração do batistério.

Essa visão de mundo infantilizada tem produzido uma cisão, não mais entre o sagrado e o profano; mas entre o evangélico e o mundano, a tal ponto que, se Jesus voltasse à terra hoje, dificilmente seria recebido como membro em alguma denominação, visto que convivia com os "pecadores" e condenava os "religiosos de sua época.

A nossa ótica sobre essa questão chega a ser tão limitada que, apenas para dar um exemplo, este blog não seria lido por muitas pessoas se em seu título não constasse a palavra "cristão", ao lado da palavra "psicoterapeuta".

Evidentemente, não irei responder à pergunta se devemos ou podemos assistir aos shows de Madonna ou dos Rolling Stones. Não porque não tenha opinião formada a respeito e sim porque pretendo levar a sério a afirmação do apóstolo Paulo: "Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas me convêm".

O que posso afirmar é que não há nada de não-espiritual em apreciar um concerto secular por simples prazer. Mas devemos ser rigorosamente criteriosos em relação à música sacra.

Por que razão?

Porque ela foi feita para adorar a Deus!

Infelizmente, porém, a maior parte de nós ainda se preocupa mais com as palavras rasteiras que às vezes aparecem nas músicas de Madonna ou dos Rolling Stones do que com a falta de reverência no culto a Deus.

Creio que devemos estar atentos a essa questão. Honestamente falando, às vezes é melhor preocuparmo-nos mais com as letras das músicas de determinados compositores e cantores gospel do que com as músicas de Adriana Calcanhoto e de Ana Carolina, por exemplo.

Toni Ayres

11 comentários:

  1. Graça e paz a vós vos sejam multiplicadas, irmão Antônio Tadeu Ayres.

    Em verdade, grande parte dos que se dizem cristãos, preocupam-se mais com o estereótipo evangélico, para defender suas migalhas espirituais, a ter que por em prática a Palavra de Deus em suas vias, pois, se assim o fizessem, estariam sobrecarregando seus interesses materialistas...

    Mas, este exímio relato que nos propõe, biblicamente respaldado, nos leva a meditarmos que, Cristo não nos chamou a sermos críticos aos costumes dos incrédulos, mas para que, façamos a diferença, em nosso modo de viver, de andar, de nos portar diante da sociedade corrompida...

    Muitos dos evangélicos são ferrenhos oponentes a Madonna, Rollings Stones, Pink Floyd, Led Zeppelin, Cazuza, Biquini Cavadão, etc, entretanto, em suas melodias evangélicas encontramos todos os acordes musicais que, encontramos nos seculares, distorções de guitarras, solo de baterias, solos de vocais...

    Outrossim, seu relato nos faz lembrar quando nosso amado irmão Paulo assim afirma a Tito: "Todas as coisas são puras para os puros, mas nada é puro para os contaminados e infiéis; antes o seu entendimento e consciência estão contaminados. Confessam que conhecem a Deus, mas negam-no com as obras, sendo abomináveis, e desobedientes, e reprovados para toda a boa obra" (Tito 1.15,16)

    Desculpe ser extenso neste comentário, mas, quando deparamos posições que nos levam a meditar na mais pura verdade, é impossível para de falar...

    Fraternalmente.
    James.
    www.jesusmaioramor.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Meu Caro James:

    O seu comentário deixou-me muito feliz porque, ao mesmo tempo em que demonstra que você entendeu o "espírito" da reflexão por mim proposta, também deixa óbvio que nem todos os cristãos são imaturos em relação à correta distinção entre o que realmente agrada e o que desagrada a Deus.

    Muito grato por sua participação!

    Tony Ayres

    ResponderExcluir
  3. Fabio Souza - martins.fabiosouza@gmail.comdezembro 16, 2008

    Oi irmão, entendi sua observação critica a respeito do universo cristão. Mas estou num dilema acerca do produto dessa crença evangelica:

    Sou evangelico e gosto mt da arte musical da Madonna a partir de sua mudança (mais eletronica e menos sexual) nos anos 2000. Claro que reprovo os comportamentos sexuais dela e algumas baboseiras da Cabala que defende. Mas afirmo que ninguem supera, nos dias atuais, a tecnica e a arte musical de Madonna. Eu me frusto em shows gospel pq sempre to comparando - na igreja é outra historia

    Gostaria muito de ir a esse show (na verdade tenho que decidir ate amanha), ja tirei ate Prov. 7 me ameaçando de morte se fosse, fora os 'irmaos' que me condenam a tal.

    Nao sei se entendeu o espirito da minha indagaçao, estou angustiado pois há um conflito entre crença, dogmas evangelicos e 'revelaçao' pessoal. Gostaria muito que o Deus me permitisse ir, pois acredito eu ter filtro para decidir o que absorver ou nao.

    ResponderExcluir
  4. meu email saiu errado é martins.fabiosouza7@gmail.com

    ResponderExcluir
  5. Meu caro Fábio:

    Parece-me que você pede por uma aprovação, neste caso, minha aprovação, já que sou o autor do post.

    Mas isso, honestamente, não posso fazer. Lembre-se da palavra: "a fé que tens, tem-na para ti mesmo".

    Quem deve decidir é você perante a sua consciência para consigo mesmo e para com Deus.

    Forte abraço!

    Tony

    ResponderExcluir
  6. Obrigado Antônio pela resposta.
    Nao sei se por obediencia, creio eu que mais por temor: decidi nao ir.
    Me chamou muito atençao Tito 1.15,16 "nada é puro para os contaminados e infiéis" e tlvz um dia me arrependa de nao ter ido.
    Abs

    ResponderExcluir
  7. Olá, Tony!

    Pertinente sua postagem. Não há o que questionar a partir do momento que decidimos desistir do mundo lá fora. Isso significa que, uma vez convertido, convertido até mesmo nas escolhas. Deus não faz parte desses shows e em nada contribui tal deslumbramento. Basta identificar qual proveito nos trás tal exibição. Comparemos com um show da Sandy. Evidentemente que não teríamos que perguntar: Será que devo ir? Tudo nessa vida nos convém, mas nem tudo é lícito para aqueles que obedecem à palavra de Deus
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  8. Oi, Cidinha.

    Assim como sou grato aos outros, assim também sou grato a você pela visita.

    Em relação ao post, creio que tudo se resume, para o cristão, numa palavra apenas: maturidade.

    O cristão maduro sabe sempre o que lhe convém fazer. Paulo disse que uns "comem de tudo" o que se vende no mercado, porém "o débil come legumes". O critério sempre será a consciência.

    Abços!

    ResponderExcluir
  9. Fabio Souzajaneiro 31, 2009

    irmão gostaria de saber se tem cm vc apagar meus comentarios q tem meu email..

    ResponderExcluir
  10. Olá amigo!
    Gostei mito desse seu artigo. Isso fez-me lembrar de um epsódio, quando dei uma carona pra uma amiga evangélica. Estava tocando no meu carro uma música de Djavan. Admirada, ou quem sabe talvez escandalizada perguntpou-me porque eu ouvia uma música do mundo. Sabe amigo não é querendo julgar, mas eu fico meio que desconfiada com esses tipos de pessoas que querem aparentar um falso moralismo. Será se uma pessoa desse tipo vive uma vida reta. Eu, desde quando me convertir não deixei de ouvir as músicas que antes ouvia, nem por isso deixei-me influenciar por elas, dessa forma não teria me convertido. Creio eu, por gostar de "músicas do mundo" nunca julguei isso por ser uma coisa errada.
    Um abraço. Dileninha

    ResponderExcluir
  11. Olá,Sou Fábia pertenço a igreja assémbléia de Deus e curto músicas seculares,como MPB,rock,jazz e clássicos;claro que são letras que não ferem a minha fé, e deixo claro que não faço isso por querer ser subversiva.
    No meio em que eu vivo as pessoas não aprovam esse fato, porque percebo que todas elas estão preocupadas em passar uma aparência de "santidade" para os próprios cristãos dentro da igreja,e as vezes vejo muita contradição de suas partes como por exemplo a falta de reverência partindo deles dentro dos cultos,e a distinção no trato com as pessoas que se vestem de forma que não vai de encontro com o seu conceito de "correto",na minha opinião são pessoas que não possuem uma base bíblica para suas vidas.
    Eu ouço músicas seculares mas não reprovo aquele que naõ escuta,pois sei que cada um tem a sua fé e respeito essa particularidade,termino aqui deixando o texo bíblico em que me baseio:
    "Aquele que tem dúvidas,se come está condenado,porque não come por fé;e tudo que não é de fé é pecado"(Romanos 14.23)
    Abração a todos! Fábia (fabia_souto@yahoo.com.br)

    ResponderExcluir

Seu comentário será exibido após examinado pela moderação.